Radar

Trends Watch Report prevê crescimento para a indústria MICE em 2017

O 12º Trends Watch Report prevê um crescimento na indústria MICE em 2017.

O 12º Trends Watch Report, assinado por Rob Davidson, managing director do Programa de Conhecimento MICE da ibtm world, que decorreu em Barcelona, prevê um crescimento na indústria MICE em 2017, em termos globais, apesar da turbulenta situação geopolítica e económica. No relatório, o responsável fez previsões para o sector e analisou as maiores tendências da indústria deste ano.

“Dada a ‘montanha russa’ política deste ano, com os resultados do referendo da União Europeia [no Reino Unido] e das eleições norte-americanas, há uma forte probabilidade de, em 2017, a nossa indústria ter de mostrar mais uma vez que é capaz de prosperar perante novos desafios, alguns deles ainda desconhecidos. Estamos melhor preparados para responder a estes desafios agora do que em qualquer outro momento da nossa história, uma vez que a nossa indústria é no momento fortemente apoiada por um profissionalismo generalizado e um sólido sistema de educação e formação que dão suporte aos já existentes e aos futuros profissionais da indústria”, comenta Rob Davidson.

Referindo o optimismo silencioso da maioria dos analistas relativamente ao desempenho económico global, o relatório prevê que os custos diários por participante, bem como os tamanhos dos grupos, vão aumentar em quase todas as regiões do mundo. Nos Estados Unidos, há uma crescente expectativa de que 2017 vai trazer uma mudança no equilíbrio de poder entre vendedores e compradores.

Revendo as principais tendências de 2016, Rob Davidson frisa que “a meetings industry e o sector dos eventos tiveram um crescimento global em 2016, com um aumento da procura dos serviços e instalações, bem como um aumento dos orçamentos, em muitas regiões”. Para o responsável, as incertezas com os resultados inesperados das consultas políticas, o aumento dos sentimentos protecionistas e populistas e as turbulências geopolíticas e sociais levaram a uma disparidade de desempenhos em termos regionais. E exemplificou lembrando que a Índia e a China viram a procura de compradores aumentar para um nível recorde, apesar do lento crescimento da economia chinesa, e que nos Estados Unidos os hotéis e locais para eventos foram capazes de negociar taxas favoráveis para responder ao fortalecimento da economia do país.

Rob Davidson acrescenta: “A Europa teve uma mistura de desempenhos. A procura por reuniões e eventos cresceu este ano, apesar dos desempenhos económicos nacionais bastante estáveis. Há um equilíbrio como resultado das empresas serem mais prudentes sobre os gastos e por isso não viajarem para longe para realizarem reuniões e usarem locais mais próximos. Numa nota positiva, a Europa tem sido muito bem sucedida no que se refere a ganhar conferências de associações internacionais, com mais de metade das principais cidades a serem escolhidas como destinos dos eventos.”

Kerry Prince, Portfolio director da ibtm events, referiu que o resultado das análises pós-evento vão ao encontro das descobertas de Rob Davidson, sublinhando o aumento que todos os anos acontece do número de expositores internacionais, incluindo o aumento de 45% na ibtm china, o aumento “incrível” de 165% (relativamente a 2015) na ibtm latin america e o aumento de 20% na ibtm arabia.

 “Como resultado, foram feitos mais contactos na ibtm events em 2016 do que nos anos anteriores, com mais de 100 mil reuniões pré-agendadas em todos os eventos. E 2017 prepara-se para ser um ano de sucesso para a empresa apesar dos desafios económicos, sociais e políticos previstos”, concluiu Kerry Prince.

Tags: Estudos, Feiras

14-12-2016