Entrevistas

Porto Palácio conta já com eventos de pequena dimensão

Quatro perguntas a Isabel Tavares, diretora de Marketing para a Hotelaria da Sonae Capital.

O Porto Palácio está preparado para o chamado novo normal, implementando todas as medidas para que o hotel possa garantir a segurança dos seus clientes. Apesar da incerteza, prevê-se um aumento gradual, mesmo que a um ritmo lento, da taxa de ocupação e os eventos de pequena dimensão, como formações e reuniões pequenas de empresas, já começam a ser solicitados. Isabel Tavares, diretora de Marketing para a Hotelaria da Sonae Capital, respondeu a algumas questões da Event Point.

 

Como é que o hotel se preparou para este novo normal que estamos a viver? Que tipo de medidas foram implementadas?

Adotámos todas as medidas necessárias à obtenção do selo Clean & Safe do Turismo de Portugal, às quais adicionámos medidas complementares como a quarentena de 24 horas nos quartos, reforço dos amenities do quarto com inclusão de gel desinfetante e ajustámos os serviços de comidas e bebidas com a opção de take away.

Como anteveem a ocupação da unidade nos próximos meses?

Todas as previsões neste momento têm um grau de incerteza muito grande e temos que esperar pelo efeito do regresso dos voos para saber qual o efeito que terão. A perspetiva é que a ocupação continue a aumentar gradualmente, mas a um ritmo lento.

Como antecipam o regresso do turismo internacional?

É um passo importante e necessário para que o turismo de uma forma geral e todos os serviços e ofertas associadas comecem a crescer novamente. Já se verifica um aumento do número de turistas estrangeiros nos principais pontos de interesse da cidade, o que é um sinal extremamente positivo para a hotelaria e para todos os vetores económicos que se alicerçam no turismo.

 

eventpoint hotelaria hoteis hotels eventos events alojamento porto portopalacio

 

Em termos de eventos, o mercado começa a mexer? Se sim, que tipo de eventos?

Os únicos eventos para os quais temos tido solicitações são os privados, como formações e reuniões pequenas de empresas. Uma novidade é que todos são agendados com muito pouca antecedência, mas nestes segmentos já se começa a sentir uma certa melhoria. No caso dos grandes grupos e eventos de maior dimensão, a procura é ainda muito reduzida. O que tem vindo a acontecer são novos reagendamentos de grupos para o próximo ano, isto é, no final do primeiro trimestre os grupos que tínhamos ainda durante o primeiro semestre foram agendados para o segundo semestre. Agora, esses mesmos grupos estão a ser remarcados novamente para o próximo ano. Há receio de viajar e as empresas não arriscam em fazer as suas reuniões ou outro tipo de eventos pois ainda há receio de contacto, apesar das garantias de segurança dos hotéis.

 

Cláudia Coutinho de Sousa

 

Tags: Entrevistas, Hotelaria, Hotéis, Alojamento, Eventos, Porto

10-08-2020