Reportagens

“Precisamos de renovar a liderança do Capítulo”

A opinião do presidente e do vice-presidente do Capítulo Ibérico da International Congress and Convention Association (ICCA).

No rescaldo da reunião anual do Capítulo Ibérico da ICCA, realizada a semana passada em Palma de Maiorca, Espanha, o presidente, Christoph Tessmar, e o vice-presidente, Jorge Vinha da Silva, falaram à Event Point sobre os principais desafios que enfrentam.
 
Tessmar, que é responsável pelo Convention Bureau de Barcelona, é assertivo ao dizer, “Precisamos de renovar a liderança do Capítulo”. Trazer pessoas diferentes, mas também algumas mais novas, e sobretudo com perspetivas diferentes sobre as coisas.
 
“Somos um Capítulo forte, como foi aqui reconhecido, mais uma vez, pelos responsáveis da ICCA, e temos essa obrigação de encontrar uma nova liderança”, afirmou ainda Tessmar. Sobre as razões que tornam difícil esse processo, o presidente do Capítulo, aponta a tentação de muitos para pensar que é mais cómodo, mais confortável deixar que alguém lidere por eles.
 
O tema não é novo, aliás, mas foi talvez agudizado pela atual pandemia. “As pessoas estão agora muito absorvidas pela necessidade de recuperar os seus negócios”, reconhece Christoph Tessmar.
 
Isto sucede numa altura em que se impõe inovar. “Os convention bureaux, por exemplo, podem transformar-se em consultores sobre um destino, apostar mais em questões como a sustentabilidade e o legado de cada um dos eventos que acolhem, e temos que ser capazes de trabalhar essas questões como os nossos clientes corporate e associativos”, reforça o presidente do Capítulo.
 
E continua, “Os eventos e os congressos não podem ser só aqueles um, dois ou três dias, temos que começar a trabalhar neles desde o início, percebendo como podemos aportar mais valor, não só para cada uma dessas iniciativas, mas para o destino, também”.
 
Tessmar recorda o “pequeno exemplo” do que fizeram nesta mesma reunião do Capítulo, “Convidámos um grupo de estudantes de Maiorca, que estão a começar a formação nesta área da Meetings Industry, que puderam ouvir, e fazer perguntas, a pessoas tão experientes e tão qualificadas como aquelas que nós tivemos nessa sessão. E tenho a certeza de que essa partilha de experiências vai marcar a formação daqueles jovens, e talvez até o seu futuro como profissionais desta área”.

Na foto: Jorge Vinha da Silva, Ramón Vidal Castro, diretor geral do Meliá Palma Bay e do Palma Convention Center, e Christoph Tessmar.
 
Mais membros, e mais portugueses
 
Jorge Vinha da Silva, CEO da Altice Arena, tem a responsabilidade de procurar atrair novos membros para o Capítulo, “e também mais membros portugueses”.
 
O entendimento que todos os stakeholders têm que ter em Portugal, numa perspetiva de médio e de longo prazo, defende Vinha da Silva, é o de que devemos investir no networking internacional, aproveitando para vincar a imagem de Portugal como um destino moderno, apto para este segmento MICE. “Isso implica, naturalmente, estarmos cada vez mais presentes nas grandes associações internacionais, como é a ICCA. E para isso temos que estar disponíveis para esta participação associativa".
 
É bom regressar!
 
Depois de um interregno de dois anos, voltar às reuniões presenciais foi “muito positivo”, garante o vice-presidente do Capítulo. “A taxa de adesão foi significativa. O negócio está a começar a voltar à normalidade, e temos que preparar os próximos anos, enquanto Capítulo”.
 
Jorge Vinha da Silva conclui lembrando ainda a enorme responsabilidade de ter três cidades, Barcelona, Madrid e Lisboa, no top 4 mundial no ranking (2019) da ICCA.
 
 
* A Event Point é media partner do Capítulo e viajou a convite da organização.

Tags: Eventos, Capítulo Ibérico, ICCA, Palma de Maiorca

22-10-2021