Notícias

Empresas continuam a acreditar nos eventos presenciais, diz o AIM Group International

As empresas continuam a acreditar nos benefícios dos eventos presenciais e há uma tendência que favorece o regresso a este formato de eventos.

Estas são algumas conclusões do inquérito ‘Eventos presenciais, híbridos ou digitais? Tendências e perspetivas dos patrocinadores’, realizado pelo AIM Group International. A pesquisa mostra os pontos de vista de 208 representantes de empresas farmacêuticas e bio-farmacêuticas, de todas as áreas terapêuticas.

“Estamos num ponto de viragem, com a reabertura de eventos presenciais a partir de julho e o planeamento de eventos para o próximo outono”, refere Patrizia Semprebene Buongiorno, vice-presidente do AIM Group International, em nota de imprensa. “Neste momento, considerámos que seria útilpedir aos decisores empresariais que patrocinam eventos que repensem as suas atitudes e desejos e concebam soluções e projetos mais em consonância com as expectativas do mercado. Os resultados do inquérito são muito interessantes e encorajadores porque revelam, em primeiro lugar, que as empresas continuam a acreditar nos benefícios dos eventos presenciais e estão interessadas em investir nesta ferramenta”, acrescentou.

O inquérito revelou que a maioria das empresas inquiridas (47%) está pronta para patrocinar eventos presenciais já no próximo outono; 37% vão decidir mais tarde e 16% ainda não o vão fazer este ano. O orçamento para eventos em 2021 está atribuído a eventos presenciais ou híbridos por 43% das empresas inquiridas, enquanto os eventos digitais recolhem o favoritismo de 35%.

No caso de participação num evento híbrido, a maioria (52%) prefere participar presencialmente, 31% opta pelas duas formas possíveis, enquanto 17% escolheria assistir ao evento virtualmente. No caso dos eventos virtuais, os representantes preferem os de curta duração, tendo a maioria (76%) escolhido a opção entre 6 e 12 horas de duração. Além disso, entre outras conclusões, preferem patrocinar sessões científicas (82%) ou oportunidades de visibilidade da marca (82%), enquanto 40% optaria por um stand virtual.

Para tornar o conteúdo virtual mais atraente em termos de patrocínio, 60% das empresas preferem vídeos e-learning curtos, publicados antes e depois do evento, seguindo-se sessões científicas em formato televisivo com um apresentador profissional (50%), sessões de perguntas e respostas depois do evento (48%), entre outras apostas.

“A partir da análise das respostas e do diálogo que tivemos com os representantes das várias empresas consultadas, notamos claramente uma forte tendência para favorecer o regresso a eventos presenciais, ou pelo menos a algum tipo de formato híbrido. Além disso, notamos que enriquecer os aspetos virtuais de reuniões com novas ferramentas de envolvimento, também foi considerado importante”, explica Gaia Santoro, responsável pela Unidade de Patrocínios do AIM Group International.

E adianta: “Com isto em mente, podemos prever que os eventos do próximo outono envolverão uma mudança paracaracterísticas de eventos mais sofisticados, que apelidamos de ‘eventos aumentados’. Combinam-se assim algumas vantagens típicas das plataformas online – como o acesso a partir de qualquer lugar, qualquer dia e hora, bem como a uma expansão do público – com os pontos fortes dos eventos presenciais que têm a capacidade de envolver os participantes, transmitir conteúdos de forma mais eficaz e fortalecer o networkinge as relações humanas.”

Patrizia Semprebene Buongiorno complementa com a ideia de que a pandemia vai funcionar como uma ‘mudança de jogo’ para a indústria dos eventos, “onde a experimentação, a inovação, a flexibilidade e a coragem evidenciadas estão a abrir caminho para que novos formatos evoluam”, adaptando-os às necessidades específicas de cada cliente e público. “Os novos formatos inspiram-se também em diferentes setores (como TV, jogos, feiras, etc.), permitindo que os organizadores de eventos identifiquem a melhor solução para obter os resultados desejados, alterando não só o formato (presencial, virtual ou híbrido), mas também a duração e planeamento de horários, a interação entre os participantes, a comunicação prévia, durante e depois do evento. Em suma, estamos a assistir a vários sinais positivos que sugerem que, uma vez terminada a pandemia, os eventos emergirão da crise ainda mais fortalecidos e eficazes.”

O inquérito pode ser consultado no site do AIM Group International.

 

Tags: Eventos, Digital, Empresas, Patrocinadores, Estudo

16-06-2021

Últimas Notícias